LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO

Alberto Bittencourt

Palestra realizada no
PETS - SEMINÁRIOS DE TREINAMENTO DOS PRESIDENTES ELEITOS DO DISTRITO 4500

 
Hotel Portal de Gravatá, PE, 20 de abril de 2007
 
 
SUMÁRIO

 
1.     INTRODUÇÃO
2.    OBJETIVOS
3.    CONCEITOS DE LIDERANÇA
4.    A MISSÃO DO PRESIDENTE
5.    IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA
6.    COMPANHEIRISMO
7.    O QUE É MOTIVAÇÃO?
8.    AVALIAÇÃO DO CLUBE
9.    JARDINEIRO
10.  SIRI EM BALDE DE CAMARÃO
11.   ROTARY E EMPRESA
12.   LIDERANÇA INTEGRAL
13.  PRESIDENTE INTEGRAL, METAS EFICAZES
14.  PRESIDENTE INTEGRAL, CLUBE EFICAZ
15.  AS TRÊS TAREFAS DO LÍDER  INTEGRAL
16.  AS TRÊS MAIORES VERDADES
17.  AS TRÊS MAIORES MENTIRAS
18.   PRINCIPAIS REQUISITOS DO LÍDER.
19.  OS DEZ MANDAMENTOS DO ROTARIANO
20. ORAÇÃO DO LÍDER

 
1.  INTRODUÇÃO
  Os conceitos que vamos estudar não se aplicam somente no Rotary, mas nos        relacionamentos do dia-a-dia, na vida empresarial, no trabalho, na escola, na família.

 
2.  OBJETIVOS
 O objetivo maior é contribuir para o desenvolvimento pessoal e essa é, sem dúvida, a grande obra do Rotary. 
Conscientizar cada rotariano que ele é o líder maior de sua própria vida.  Capacitá-lo a, antes de liderar os outros, ser líder de si mesmo.

 
3.  CONCEITOS DE LIDERANÇA
Em primeiro lugar, o aparecimento do líder, é um fenômeno natural, espontâneo, que sempre ocorre, em qualquer coletividade.  Sim, porque até mesmo em grupos ou bandos de animais há líderes. A família tem que ter um líder, a classe da escola também, e na política então nem se fala. Nas batalhas há líderes, no esporte a equipe tem que ter um líder.
Nenhum líder nasce feito. Porém todos trazem dentro de si o talento da liderança, como uma semente que precisa ser desenvolvida, ser tratada para crescer. Como um jogador de futebol. Ele pode estudar todos os compêndios, pode adquirir conhecimentos nas melhores universidades, mas só será um grande jogador se praticar.  A liderança se aprimora na prática, se desenvolve no trabalho, na prestação de serviço, nos contatos do dia-a-dia, nos relacionamentos.
Liderança não é sinônimo de cargo, posição social, dinheiro, tempo de serviço. Você não precisa ser presidente de clube, gerente ou diretor de empresa para ser líder. Um pai de família, um vendedor, um estudante, um engenheiro, um professor, um médico, uma secretária, todos podem ser líderes. Basta começar a pensar como líder.

 
4) A MISSÃO DO PRESIDENTE 
Vocês assumirão em julho o mandato de presidente de clube, com duração de um ano. O presidente é o líder maior do ano rotário.
Mas um ano é muito pouco. Passa rápido como um foguete. Cada minuto que passa é um minuto que não volta mais.
Exercer o papel de presidente é uma enorme missão que vocês receberam de seus próprios companheiros. Não é uma missão imposta de cima para baixo, não é uma missão que venha do governador, nem do presidente de Rotary Internacional. É uma missão para a qual vocês foram escolhidos pelos próprios companheiros.
Ser líder é diferente de ser chefe; enquanto o chefe resulta da delegação de autoridade por terceiros, de cima para baixo, o líder é produto da eleição do grupo. 
O chefe manda nos subordinados, o líder convence os companheiros. O chefe impõe, o líder comunica. O chefe ordena, o líder motiva. O chefe ameaça, o líder envolve,  O chefe pune, o líder, engaja, compromete.
A chave do sucesso de qualquer presidente de clube ou de empresa é ser naturalmente líder em todos os momentos e chefe nos momentos precisos. 
A presidência de um clube é como um HOLOFOTE que circula pelos membros do grupo e focaliza aquele que é visto como sendo o melhor meio, naquele momento e naquela circunstância, para que o grupo possa alcançar seus objetivosVocês são os iluminados do momento.
Você, presidente de clube 2007-2008, seja homem ou mulher, não é necessariamente o mais forte, o mais corajoso, o mais inteligente, o mais esperto, o mais bonito, o mais charmoso, o melhor orador, mas, nas atuais circunstâncias, você é o líder que o clube precisa.
O presidente eleito de RI Wilfrid J. Wilkinson, citou, no treinamento dos governadores eleitos em San Diego:
Sua função é fazer com que, ao término de seu mandato, os clubes estejam melhores do que quando começaram. Nem sempre será fácil, mas para alcançar algo que valha à pena, não é preciso um fardo leve, é preciso costas fortes.
O melhor líder não é o que faz, nem o que manda fazer. É simplesmente o que faz acontecer.

 
5) IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA
O presidente William Boyd afirmou: Ser líder, no Rotary, significa colocar os interesses dos clubes e dos rotarianos em primeiro lugar. Significa reconhecer que no Rotary, nenhum sócio é mais importante que outro. É fato que, sobre os ombros de alguns rotarianos pesam maiores responsabilidades, mas isso não quer dizer que um rotariano valha mais que o outro. 
Em Rotary ninguém tem poder. Tampouco temos autoridade, pois ela é uma conquista. O que temos em Rotary são diferentes níveis de responsabilidade.
E disse mais:
No Rotary, ser líder não significa impor a vontade a outrem. Significa estar disponível aos clubes para o que der e vier. Significa se regozijar com eles no sucesso e ampará-los nas dificuldades. Significa ter a responsabilidade de escutar o que o próximo tem a dizer. Significa liderar iniciativas que introduzam mudanças positivasSignifica ter uma visão holística do Rotary.
Paul Harris, em seu livro ESTA ERA ROTÁRIA, escrito em 1935, ilustra o que é ter visão holística do Rotary:
“Há uma parábola a respeito de seis cegos do Industão que foram conhecer um elefante.  
O primeiro dando de encontro ao flanco do animal gritou: _Valha-me Deus! Percebo que o elefante é tal qual uma parede. O segundo, encontrando o dente, ficou certo que o elefante era parecido com uma lança, o terceiro, agarrando-se à tromba que se retorcia, asseverou. _O elefante é parecido com uma cobra... O quarto, esbarrando numa das grandes pernas disse: _O elefante é igual a uma árvore. O quinto, que encostou a mão numa das orelhas, exclamou: _Esta maravilhosa alimária é parecidíssima com um leque. Finalmente o sexto, apalpando a cauda bamboleante, disse: _O elefante é parecido com uma corda.
Paul Harris continua:
Grande número de rotarianos se assemelham a esses seis cegos. Impressionam-se com algum objetivo em particular, com certa atividade localizada ou ainda com algum produto limitado de Rotary. Existem outros rotarianos que se interessem mais por determinadas atividades rotárias que consideram ser a mais importante.
Com convicção, exclamam: Isto é Rotary!
Entretanto, esses rotarianos não conseguem ver Rotary no seu conjunto. Suas percepções limitadas conduzem geralmente a conclusões desconexas, como as dos cegos a respeito do elefante. Em vez disso continuam a perguntar: _O que é Rotary?”

 
6) COMPANHEIRISMO
Sendo focado em pessoas e serviços, tudo no Rotary gira em torno de companheirismo.
O que vem a ser companheirismo? É a arte dos relacionamentos. Isso requer enorme doação do presidente, que precisa promover e manter relacionamentos saudáveis.
Investir no relacionamento significa colocar as pessoas no topo, manter as pessoas com as quais nos relacionamos, às quais servimos, felizes.
Por que as mulheres são mais eficazes neste ponto do que os homens? Porque elas investem mais nos relacionamentos, enquanto nós homens, nos preocupamos com tarefas, metas e objetivos.
Um Quadro Social forte, no meu entender, é aquele que tem 50% de homens e 50% de mulheres, Esse é que é um Quadro Social forte. Não adianta um clube ter 50 homens e meia dúzia de mulheres, e as mulheres vão entrando e saindo, porque não se integram no clube. Não se entrosam.
O ingrediente mais importante para um relacionamento bem-sucedido, ou seja, para o companheirismo, é a confiançaA confiança é a cola que gruda os relacionamentos, diz o monge ao executivo, personagens do livro O Monge e o Executivo de James Hunter.
A confiança é o laço que mantém unidas e fortes as varas do FEIXE DE VARAS, símbolo da família rotária.
                             Não pretendemos se o melhor
                             Tampouco queremos ser o maior,
                             Mas a Família Rotária, creiam todos,
                             É forte e unida como um FEIXE DE VARAS!

 

 
7) O QUE É MOTIVAÇÃO?
O presidente do clube é o maior motivador.
Motivar é  o ato de quebrar rotinas, despertar interesse, criar desejo.
_Quebrar a rotina das reuniões semanais. Transformar as plenárias em algo agradável, em momentos de alegria, de espontaneidade, em que o rotariano comparece pelo simples prazer de estar junto.
_Despertar o interesse pela troca de idéias, de informações.  É o interesse que faz um cidadão comum pagar quinze reais para ficar sentado duas horas num banco de cimento esquentado pelo sol, só para ver seu time jogar?
_Criar o desejo de conhecer mais a fundo o Rotary e a Fundação Rotária, de saber por exemplo, como empreender novos projetos. Você tem a missão de fazer de seu clube um objeto de desejo.
Isso é o que se chama “motivação”. Para se alcançá-la temos que enfrentar permanentes desafios que atingem e afetam a todos os membros do clube.
Motivar é ensinar ao novo companheiro que chega cheio de vontade de trabalhar, de ser útil, como ser um autêntico rotariano, despertando-lhe a vocação de serviço.
Motivar é transformar o velho companheiro, já cansado e desestimulado, que mal comparece ao clube, a não ser numa ou noutra festiva, em autêntico homem de ação, verdadeiro líder, reacendendo em seu coração a chama da amizade, da boa vontade, da paz e compreensão.

 
8) AVALIAÇÃO DO CLUBE
Todos já ouviram  muitas vezes que o clube é o presidente. Se o presidente for bom, o clube é bom. Porém se o presidente for fraco, o clube é fraco. A história dos clubes é uma trajetória de altos e baixos.
No meu treinamento, em Anaheim, Califórnia, recebi o seguinte recado de um diretor do RI: você será avaliado conforme o desempenho de seu distrito, principalmente com relação ao Quadro Social e  à Fundação Rotária. 
Assim como o desempenho do governador será avaliado pelo desempenho do distrito, o desempenho do presidente de clube, se confunde com o desempenho de seu próprio clube.
O governador do distrito recebe um formulário chamado “Relatório de Visita Oficial a Rotary Clube”. Está aí, disponível na internet. Dele consta uma série de informações a respeito do clube que o governador do distrito, com auxílio dos governadores assistentes tem que preencher e enviar ao RI. São vários itens referentes ao desempenho dos clubes naquele ano.
Termina com a avaliação do clube: MUITO BOM; BOM; SATISFATÓRIO E FRACO.
Só, que na realidade, quem estará sendo avaliado é você, presidente. Pode ter a certeza de que se o clube é muito bom, é o presidente do clube que é muito bom. Se o clube é fraco, é o presidente do clube que é fraco. 
Não é o RI, nem o governador quem vai dizer ao clube o que ele é. É o clube quem diz ao RI o que ele é, o que ele faz, o que ele tem por metas, como ele age, qual o seu papel.

 
9) O JARDINEIRO
O presidente do clube é um grande jardineiro. A ele cabe cuidar das plantas de seu jardim, para que nenhuma morra, extirpando, inclusive, ervas daninhas, quando for o caso. Assim como os agricultores classificam as plantas, podemos classificar os clubes em dois estados: verde e crescendo ou amarelo e morrendo.
 Feche os olhos. Dê uma olhada interior para o seu clube. Veja em que estado se encontra: Está verde e crescendo ou amarelo e morrendo? Se ele é fraco ou satisfatório, então ele está amarelo e morrendo. Se ele é muito bom, então ele está verde e crescendo. Se ele é apenas bom, então ele não é nem amarelo nem verde, porque nós temos que buscar a excelência.
Um clube verde e crescendo é uma organização bem sucedida.  Um clube amarelo e morrendo, não passa de um aglomerado de pessoas vaidosas e improdutivas.
Agora, a grande verdade: A diferença entre um clube  verde e crescendo para outro amarelo e morrendo reside unicamente na capacidade das pessoas trabalharem em equipe
As equipes, para serem bem sucedidas, precisam de projetos bem elaborados. Para serem empreendidos por equipes, esses projetos funcionam com apenas uma coisa: energia.
Você, presidente do clube, tem tarefa de se transformar nessa fonte de energia que impulsiona os demais companheiros de seu clube.

 
10) SIRI EM BALDE DE CAMARÃO
Você tem que ser como Siri em Balde de Camarão. Conhecem a parábola do Siri em balde de Camarão? Se você puser num balde com água do mar um punhado de camarões e deixar lá, com menos de 24 horas eles estarão todos mortos, mas se você puser junto com os camarões um Siri, que vai ficar perseguindo, sem deixar os camarões pararem, eles não morrerão, se mantêm vivos.
Conclusão: o presidente do clube tem que ficar perseguindo todos os sócios, para que nenhum morra. Dando-lhes tarefas, distribuindo missões, cobrando, avaliando, reconhecendo, premiando. Lembrem-se que o presidente do clube é um Siri em balde de Camarão.

 
11) ROTARY E EMPRESA
Podemos fazer a comparação entre o Rotary e uma empresa. A grande diferença é fazer, com que todos os rotarianos tenham a consciência de que são empreendedores. Como o empreendedor se confunde com a empresa, assim também o rotariano se confunde com o Rotary.
Uma empresa tem três focos principais: clientes, produtos e lucro. Um clube de Rotary, sendo um clube de serviços, é focado em pessoas, pessoas e pessoas, pois sem pessoas não há serviços.
São três grupos de pessoas, que poderíamos definir como três tipos de públicos:
Público alvo. São os beneficiários de nossos projetos e ações.
Público interno. São os companheiros e membros da Família Rotária.
Público externo. São as pessoas que nos observam.

 
12) LIDERANÇA INTEGRAL
O líder integral é líder o tempo todo, no dia-a-dia, dentro e fora do trabalho, na escola, na comunidade, na família. O líder integral é ao mesmo tempo eficaz e eficiente.
Antigamente se dizia que eficácia e eficiência eram atributos distintos da liderança. Assim os papéis do dono e do gerente da loja eram diferentes.
Dizia-se ao dono, empreendedor, que, para ser eficaz competia-lhe apenas mostrar o melhor caminho. Ao bom gerente, por sua vez, cabia-lhe demonstrar eficiência fazendo o melhor trabalho para seguir o caminho indicado.
Dizia-se ainda que nem sempre o gerente é líder, mas que o líder deve procurar ser um bom gerente.
No moderno conceito de liderança integral, tanto o líder empreendedor, quanto o gerente de loja devem ser tão eficazes quanto eficientes. Senão vejamos:
1) A Universidade do Hambúrguer da McDonald’s: todo empreendedor ao adquirir a franquia da rede fast food, tem que passar 3 meses nos Estados Unidos, aprendendo a fazer sanduíches, batatas fritas, estudando a composição de cada ingrediente, enfim, todo o processo, para administrar e definir os rumos do empreendimento.  
2) Aprendendo a cavar trincheiras: quando fui cadete, durante o curso de formação de Oficiais do Exército, após marchar vários quilômetros, passamos horas, cada um cavando a sua trincheira individual para homem em pé. Debaixo de sol quente, capacete de aço, coturnos, utilizamos apenas as ferramentas de sapa (pequena pá e picareta) que conduzíamos presas à mochila. Pode parecer simples, mas havia detalhes, como a banqueta no fundo, que possibilitava ao homem subir para ver e atirar, e a inclinação em direção ao sumidouro, um buraco para escoamento das granadas que eventualmente fossem jogadas dentro da trincheira.
Os instrutores diziam que era necessário conhecer o grau de dificuldades, para poder exigir dos subordinados. Concordei plenamente, tanto que o solo era tão duro, que, ao final da jornada, na minha trincheira para homem em pé, cabia apenas um anão deitado.
3) O presidente de clube para ser eficaz tem que ser eficiente. Tem que ser um líder integral e isso só se consegue com disciplina. É a participação nos treinamentos, as fases de preparação e planejamento, a organização das equipes. É o estudo dos manuais não só do presidente, mas do secretário, do tesoureiro, do protocolo, das comissões, enfim toda a gama de recursos materiais e humanos que o RI coloca à disposição dos rotarianos. Ele precisa estar bem sintonizado com os objetivos do presidente do Rotary Internacional do seu ano.
   4) Entre para aprender, saia para servir. Esta frase está escrita na entrada do     grande salão de instrução da Assembléia Internacional do Rotary, onde anualmente  são treinados os governadores eleitos de todos os distritos do mundo.

 
13) PRESIDENTE EFICAZ, METAS EFICAZES
O General Marc Clark dizia: “Para não se desmoralizar, nunca dê uma ordem que não possa ser executada”.  
Não esqueçam disso, ao estabelecerem as metas e objetivos de seus clubesTenha a consciência de que as metas e objetivos do clube são suas próprias metas e objetivos.
Uma meta, para ser eficaz, deve ser:
·      Mensurável
·      Realista
·      Desafiadora
·      Participativa
·      Delimitada

 
14) PRESIDENTE EFICAZ, CLUBE EFICAZ
Um presidente só será eficaz se abraçar com eficiência e competência os quatro pilares de um clube eficaz:
1.     - Quadro Social
Está provado que o desempenho precário dos líderes do clube é a principal razão para a baixa de sócios. Disse o EGD Steven Wilcox, em discurso na Assembléia Internacional de 2006:
Quando os líderes do clube são capazes, organizados, proativos e motivados, os índices de retenção se elevam e os clubes se fortalecem. Quando pelo contrário os líderes são fracos, desorganizados, complacentes e desmotivados, os índices de retenção tendem a ser baixos.
2.    Fundação Rotária
Como presidente você terá que ter criatividade para motivar a arrecadação de contribuições para a Fundação Rotária.
3.    Prestação de serviços
Dividir o clube em equipes de trabalho onde, por sua vez, todos sejam líderes.
4.    Lideranças.
Existem outros líderes atuando fora dos limites do clube?
Eu acredito piamente que o maior líder é aquele que forma líderes, o maior líder é aquele que forma multiplicadores de opinião, de trabalho, e quando ele sai, ao término do mandato de um ano, deixa aqueles multiplicadores dando continuidade à sua obra. Esse é o maior líder.

 

 
15) AS TRÊS TAREFAS DO LÍDER INTEGRAL
1.     Visibilidade.
A imagem pública do Rotary é prioridade. Dar visibilidade aos feitos do clube é tarefa de todos os rotarianos.
2.    Integração
Do clube com outros clubes, com outros clubes de serviços, com empresas, com órgãos dos governos, da Família Rotária dentro do clube.
3.    Ética rotária
O presidente do clube é o principal guardião da ética rotária. A ele cabe corrigir       eventuais casos de inadimplência seja financeira, funcional ou ambas.

 
16) AS TRÊS MAIORES VERDADES
Primeira: O presidente não é o culpado dos problemas do clube, mas ele é o único que pode resolvê-los.
Quem serviu no Exército, sabe que nos finais de semanas, é escalada a turma da faxina do quartel. Normalmente quem comanda é um cabo, mas este nem sempre está disponível. O sargento-de-dia, olhou para os recrutas e apontou para o que lhe parecia mais vivo. Disse:
_ A partir de agora você é o chefe da turma da faxina. Sabe o que é ser chefe? E completou: Chefe é o culpado de tudo que os outros fizerem de errado! 
Você, presidente de clube deve estar pensando: pronto, sobrou para mim. Só faltava essa: ser culpado por tudo o que os outros fizerem de errado. Será verdade? Veja, quando você adquire uma empresa, qualquer que seja ela, você recebe todo o seu ativo, mas também o seu passivo.  Vêm junto os débitos financeiros, trabalhistas todos os problemas que tiver e é você que vai ter que resolvê-los.
Assim também é o clube. O presidente não é culpado dos problemas do clube, mas ele é o único que pode resolvê-los. Então, no momento em que você assumir a presidência, passará a ser o responsável por todos os problemas que o clube possa ter, mesmo vindos de outras gestões. Não foi você quem os criou, mas a você cabe a tarefa de motivar e liderar os companheiros para resolver todas as pendências, Este é o papel do presidente do clube.
Segunda: os companheiros querem ser liderados.
O presidente deve ter a noção clara de que os companheiros querem que ele tome as iniciativas, que conduza o clube, que assuma o controle. Muitos presidentes não têm essa consciência.
A mais longa jornada começa com o primeiro passo. Cabe ao presidente do clube dar o primeiro passo.
Exemplo Ghandi.
Terceira: jamais haverá unanimidade.
Sempre haverá alguém que tenha uma crítica, alguém que diga que existe algum modo de fazer melhor, alguém que diga que não está certo. Mas isso é o normal, já que ninguém tem unanimidade. Como dizia Nelson Rodrigues: toda unanimidade é burra. Sempre haverá quem critique.
Portanto, um dos ensinamentos que o rotariano deve ter ao assumir qualquer posição de liderança, é que ele deve ter jogo de cintura e  aprender a engolir sapos.
Henry Kissinger disse: Eu não conheço uma fórmula para o sucesso, mas a fórmula para o insucesso é, sem dúvida, tentar agradar a todo mundo.
Em O Monge e o Executivo, livro que já vendeu mais de um milhão de exemplares no Brasil, James Hunter defende a idéia de que liderar é servir, isto é, identificar e satisfazer as necessidades reais, legítimas – e não os desejos e as vontades – das pessoas.
Isso tem um nome: liderança responsável.
Liderança responsável é saber dizer NÃO, embora com ternura. Che Guevara tinha por lema entre seus comandados: “Hay que ser duro, pero com ternura”.
Como líderes responsáveis que somos, cumpre-nos saber impor limites. É o nosso  papel como educadores, visando um futuro melhor, principalmente para os jovens.

 
    17) AS TRES MAIORES MENTIRAS
   Primeira: dinheiro não existe.
   Segunda: ninguém quer ser sócio.
   Terceira: é difícil liderar voluntários.

 
18) PRINCIPAIS REQUISITOS DO LÍDER.
1.     _Agir sempre pelo exemplo.
O líder toma iniciativas e sai na frente.
Lembro do meu tempo de tenente paraquedista militar, comandante de pelotão, quando tive oportunidade de praticar a verdadeira liderança. Em vôos, às vezes noturnos, o comandante é sempre o primeiro a saltar. Vai à porta, olha para os quarenta homens e grita, antes de se projetar no espaço: SIGAM-ME! Um após outro, depois dele, todos vão saltando, para se reagruparem depois, no solo e partirem para o cumprimento da missão.
2.    _ Saber delegar:
implica em saber instruir, supervisionar, avaliar, reconhecer.
Bichai Rattakul na mesma Assembléia Internacional, em memorável discurso sob o mesmo tema, Liderança e Motivação, narrou: Há uma estória, que talvez conheçam, sobre um menino. O capitão de um navio o chamou e pediu que tomasse o leme. Apontando para a Estrela do Norte, instruiu o menino a rumar em direção a ela. Com orgulho e segurança, o menor assumiu sua posição. Por alguns minutos, o navio seguiu seu curso e depois, imperceptivelmente, mudou de rota. Em breve, a estrela podia ser vista ao lado da embarcação, e no fim de uma hora, posicionava-se diretamente à popa. Nesse momento o capitão voltou e foi recebido pelos brados entusiasmados da criança: “Capitão, aponte outra estrela, pois já passamos aquela”.
3.    _ Saber correr riscos
Há a história do Jacó: Jacó todas as noites rezava a Deus: Senhor, fazer Jacó ganhar loteria. Jacó promete ajudar muita gente. Senhor, fazer Jacó ganhar Megasena. E todos os dias Jacó repetia a mesma oração. Até que uma noite ouviu uma voz: Jacó! Jacó! Pelo menos joga, Jacó. Eu quero te ajudar, mas pelo menos, joga, Jacó.
Disse-nos ainda Bichai Racttakul: “Líderes deverão ser não só corajosos, mas também audaciosos. Audácia difere de coragem. Coragem é a capacidade de enfrentar o perigo, as adversidades e o sofrimento de forma resoluta. Audácia, por outro lado, e a disposição de correr riscos, de engajar-se no desconhecido, de embarcar nas aventuras e não temer o fracasso na busca do sucesso”.
É célebre a expressão cunhada por Theodore Roosevelt: “É preferível arriscar coisas grandiosas, alcançar triunfos e glórias, mesmo expondo-se à derrota, do que formar fila com os pobres de espírito, que não gozam muito nem sofrem muito, porque vivem na penumbra obscura dos que não conhecem nem vitoria nem derrota”.
4.  _ Pensar grande
“Não custa nada pensar grande. Pensar grande significa pensar além do próprio tempo, pensar  no tempo dos outros. Não com arrogância, mas com humildade. Vale a pena pensar grande.” Amir Klinck.
Pensar grande é fazer um planejamento que vá além do seu ano de presidência. É o que se chama planejamento estratégico. É ter metas de curto, médio e longo prazo. Não fazer como alguns políticos que só pensam na reeleição. Poderíamos definir curto prazo como um ano. Médio prazo como três anos e longo prazo como dez ou mais anos.
Feche os olhos e pense em como estará o clube ao final de seu mandato. E daqui a três anos. E daqui a dez? Será que ele ainda existirá?
Amir klinck, questionado que seria loucura tentar atravessar o oceano Atlântico com a força dos braços, respondeu: Não vou atravessar o oceano Atlântico com a força dos braços e sim com a força da inteligência.
Depois de perder meses tentando projetar um barco que não virasse, resolvi o problema projetando um barco que virasse.
5._ Procurar a velocidade e a simplicidade
Disse Luís Vicente Giay: “Para dar maior eficiência aos projetos da Fundação Rotária, diminuímos a quantidade de papéis. Na busca de maior simplicidade e velocidade, removemos os entraves da burocracia.” 
Você ter que ser rápido como a ema selvagem perseguida por uma matilha de cães ferozes. Seu mandato de um ano ainda não começou, mas já está perto de terminar. O fim do ano está aí, representa o início da segunda metade. Você tem que começar agora o trabalho de elaborar as metas e sonhos de sua  gestão, através de suas equipes de trabalho.  Caso contrário, poderá ficar como aquele companheiro, diretor de avenida, que passou os primeiros seis meses explicando o que ia fazer e os outros seis meses justificando porque não fez.
    6._ Ter jogo de cintura
Ter jogo de cintura é agir com diplomacia. Acostume-se a elogiar antes de cobrar. Você conseguirá muito mais coisas.
Como estudante do Colégio Militar do Rio de Janeiro, escrevi um trabalho baseado na fábula de La Fontaine “A Raposa e as Uvas” que ilustra bem:

 
7. Elogiar antes de criticar.
A RAPOSA E AS UVAS  (La Fontaine)
Versos de Alberto Bittencourt

 
Uma raposa esfaimada,
Pela floresta trotando,
Estava desanimada,
Alimento não achando.

 
Nisso um corvo deparou,
Sobre uma árvore pousado,
E no seu bico notou,
Belo queijo atravessado.

 
Vendo o corvo com o petisco,
Quis a raposa matreira,
Atacar a todo risco,
Falou-lhe desta maneira:

 
Oh! Rica ave formosa,
Que divina criatura,
Que cor preta, maviosa,
Tens a voz como a figura.

 
A tais palavras rendido,
O corvo com afoiteza,
Quis mostrar-se agradecido,
Abre o bico e solta a presa.

 
Come-lhe a mestra o manjar
E diz: _Meu amigo aprende,
Vive quem sabe adular,
A custa de quem o atende.

 
8. Aprender a engolir sapos
Aprender a engolir sapos é saber não revidar.
Nunca se justifique. Os amigos não precisam. Os inimigos não acreditam.
Pratique o diálogo. Empregue a força da razão e da boa vontade na busca de soluções.

 

 
19) OS DEZ MANDAMENTOS DO ROTARIANO
1) Proceda como líder.
Não há ninguém que possa conferir-nos o grau de líder, pois ele já é nosso. A liderança a gente traz conosco. Cumpre praticar.
Precisamos nos ver como líderes, proceder como líderes, lidar com os problemas da mesma maneira que um líder. Devemos viver como vive o líder, pensar como pensa o líder, agir como age o líder.
Atuemos do mesmo modo que um líder atua. Falemos como um líder se dirige às pessoas, enfrentemos a vida tal qual um líder a enfrenta.
2) Esteja aberto a mudanças.
James Hunt, autor de o Monge e o Executivo disse que o conceito de insanidade é pretender obter resultados diferentes, continuando a fazer tudo igual, do mesmo jeito, sempre.
Um grande líder é aquele que nada teme, nem mesmo uma idéia nova.
Não tenha medo de mudar. Seja aberto e receptivo ao novo. Sepulte velhas e arcaicas estruturas. Sintonize com os novos pensamentos, as novas idéias, os novos estilos de vida que estão à nossa volta. Aceite as mudanças em tudo o que está acontecendo no mundo, neste momento, e se torne parte delas. Tenha a mente e o coração abertos aos novos ensinamentos.
3) Seja proativo.
O líder presidente de clube pode ser reativo ou proativo.
O líder reativo é aquele que toma as providências depois que o incêndio começa a arder. É chamado líder circunstancial.
O líder proativo toma as providências para evitar que o incêndio ocorra, toma as medidas preventivas. Este é o verdadeiro líder, o que toma as providências antes dos fatos acontecerem, se antecipa.
4) Viva o momento presente.
A verdadeira felicidade não está no fim do caminho. A felicidade é o próprio caminho.
Sintonize e potencialize a sinergia do seu clube. Mantenha-se alerta, no “aqui e agora”. Os erros, são oportunidades de aprendizado. As metas, os objetivos, são desafios a serem conquistados.
Vivendo o momento presente, estaremos preparados para viver o futuro, quando ele se  tornar presente.
5) Seja otimista.
A realidade você cria. Todos os acontecimentos da vida são emocionalmente neutros. Nós é que temos uma reação positiva ou negativa.
Disse o presidente William Boyd: E já que humildade é um dos traços que dignificam os verdadeiros líderes, peço que sempre portem um semblante agradável, iluminado por um sorriso, para que os demais se sintam bem por estar ao seu lado.
6) Não desista nunca, jamais.
Tenha perseverança nos projetos, na busca de parcerias, na  angariação de recursos. Vá até o fim, custe o que custar, mesmo que isso implique em sacrifícios, e muita paciência.
Citar o exemplo de Arch Klumph
7) Pratique o amor como comportamento.
Como seres humanos, não temos obrigatoriamente que gostar de todos os nossos companheiros, mas como líderes, somos instados a amá-los e tratá-los como gostaríamos de ser tratados. A regra do Pai é que nos amemos uns aos outros. Não amar no sentido de como nos sentimos uns em relação aos outros, mas na maneira como nos comportamos uns com os outros. É o amor incondicional, baseado no comportamento com os outros, sem exigir nada em troca. É o amor como ação.
8) Atue dentro dos princípios da  ética e da Prova Quádrupla.
A ética é um princípio que não pode ter fim. É imutável, desde que o Rotary existe. Vigora nas relações familiares, nas relações comerciais e profissionais, nas relações com os companheiros. Pratique o comportamento correto, leal, sério e verdadeiro dentro e fora do clube. Aplique a Prova Quádrupla.
9) Não faça julgamentos.
Evite fazer julgamentos, ou juízo de valor, não rotule as pessoas. Não critique pelas costas.
10) Viva o EU SOU ROTARY!
Tenha consciência de que Rotary é cada um de nós. Cada clube é a soma de seus membros, o reflexo de seus sócios. Quanto mais eficientes forem os companheiros, maior eficiência terá o clube. Essa consciência de que cada um é Rotary, é manifesta na afirmação: EU SOU ROTARY, como atitude de vida.
Viver o EU SOU O ROTARY,  é deixar cair a máscara da aparência, da vaidade, esse ego que parecemos ser e começar a viver a verdadeira vida.
Praticando o EU SOU ROTARY, alguém, em algum lugar, algum dia, em algum momento, nos agradecerá.

 
20) ORAÇÃO DO LÍDER
(Autor desconhecido, adaptado por Alberto Bittencourt)

 
Me ensine a amar, Senhor,
Me ensine a dar, partilhar, a me doar,
Me ensine a não ter pressa, a esperar o melhor momento,
Sem medo, sem ansiedade.
Me ensine a me ouvir e ouvir o próximo
A me perceber e perceber o próximo
A perceber as coisas que acontecem ao meu redor
Me ensine a discernir, a me libertar dos apegos, a ser equânime
Me ensine a compreender e perdoar.
Me ensine a me respeitar e a respeitar o próximo
A me ouvir e a ouvir o próximo
A ouvir meu coração, a seguir minha intuição
A Te perceber em mim e a Te perceber no próximo
Me ensine a ter sabedoria, a ser generoso, a ser humilde.
A ter consciência de minhas ações, a ver as coisas como elas são.
A me colocar, a me relacionar comigo e com o próximo.
Me ensine a engolir sapos Senhor, a ter jogo de cintura, a abrir
Meu coração e deixar fluir.
Me ensine a não ter expectativas, a vivenciar minhas
Emoções e sentimentos
Me ensine Senhor a relaxar e me entregar a Ti
A confiar, a aceitar e a agradecer.
Me ensine a amar,
Me ensine a amar
A amar, a amar.
Amém.

 
 
 
Retirado do site: https://albertobittencourt.blogspot.com/